Adoração e Família

Reflexão - publicada em 15/01/2016

ADORAÇÃO E FAMÍLIA

"...Porém se vos parece mal servir ao Senhor, escolhei, hoje, a quem sirvais... Eu e a minha casa serviremos ao Senhor"
Js 24.15

Adorar é servir. Servimos a quem escolhemos amar e respeitar, oferecer nossa dedicação e devoção. Até aqui Josué, como líder, tinha levado o povo de Deus a alcançar as bênçãos prometidas, o sossego e a segurança da terra prometida. Contudo, o povo seria tentado a olhar para trás para as dificuldades passadas, ou olhar à frente, contaminando-se com os deuses estranhos e seus cultos.

Josué nos ensina que, a despeito das circunstâncias que nos cercam, servir ao Senhor é primeiro ser perseverante. Fidelidade diante das bênçãos, não somente dependência do Senhor diante da tribulação, quando tendemos a buscar a Deus, mas também nos dias bons quando o esquecemos. Perseverança e fidelidade na fartura ou na escassez, na fortuna ou na crise, na saúde espiritual, que não implica em saúde física. Deus prova os corações!

Josué também nos ensina que a adoração é comunitária e que não deve haver jugo desigual. Uma casa dividida não subsiste; não se sustenta. Quando servimos juntamente ao mesmo Senhor, nossa vida familiar prospera. Se todos estiverem, de forma consoante, num mesmo alvo, o Senhor se encarrega de trazer paz e alegria a este lar.

Referência para leitura: Josué 24.14-24

www.lpc.org.br